quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

19 Teorias da conspiração

teorias da conspiração
Teorias da conspiração, como o próprio nome diz, são teorias sobre conspirações mirabolantes que acontecem "por trás dos panos" com algum objetivo escuso e/ou sinistro. É claro que são apenas teorias, elas podem ou não serem verdadeiras, aqui irei falar sobre 19 delas, se é verdade ou não... só o tempo poderá dizer. Mas, devo frisar que teorias que não passavam de "ficção" acabaram se confirmando como verdadeiras em outras épocas, bem como o inverso.




19.  Assassinato de John F. Kennedy
  
teorias da conspiração
 Dallas, Texas, 2 de novembro de 1963. Durante um passeio com uma limusine aberta, o então presidente dos EUA, John F. Kennedy, é assassinado frente a multidão que acompanhava a carreata. Horas depois, a polícia prende Lee Harvey Oswald, um ex-soldado, acusado de ser o autor dos disparos que levaram a óbito JFK. Dois dias depois, Oswald é assassinado em frente as câmeras de TV. A versão oficial diz que Lee era um comunista maluco, autor dos três disparos que mataram o presidente. No entanto, todos que analisaram esse caso sabem que essa versão está cheia de furos e incoerências. Filmagens amadoras, gravações de áudio, depoimentos de testemunhas provam que foram disparados quatro tiros e não três como na versão oficial. Na perícia, foi comprovado que o rifle de Oswald só havia disparado três vezes. Quem deu o quarto tiro? Havia um segundo atirador no local. Claro, o governo negou tudo. E isso levou a criação da tese da Bala Mágica, que é um tanto debochada: Se Oswald foi mesmo o responsável e foram disparados apenas três tiros e sabendo que a primeira bala errou o alvo e acertou um pedestre e a segunda estourou a cabeça do presidente, de onde vieram os fucking sete outros ferimentos restantes? Se a versão oficial estiver certa, a bala de Lee Oswald era mágica e entenda o porquê: ela entrou por trás do pescoço de Kennedy, saiu pela frente, virou a direita, depois a esquerda, entrou nas costas do governador Connally, saiu pelo peito, atravessou seu pulso direito e acabou na sua perna esquerda. Realmente, você pode até achar graça disso, mas a versão oficial afirma que foram apenas três tiros e um único atirador; logo, essa é a única hipótese possível, dada as condições.
Os teóricos da conspiração não aceitaram essa versão. Entre as varias teorias da conspiração que surgiram, a mais aceita é que a CIA foi a responsável pelo assassinato de JFK. Kennedy era contra os projetos completamente antiéticos criados pela CIA para favorecer os EUA. Entre eles, o mais sombrio de todos, a Operação Northwoods, uma operação sinistra da CIA que visava acabar com o poderio comunista que crescia em Cuba gerando uma guerra entre os países. Para isso, a CIA planejou uma série de ações terroristas violentas nas cidades dos EUA, com o propósito de culpar Cuba pelos atentados e conseguir que a opinião publica ficasse do seu lado quando anunciassem a guerra. Ao apresentar o projeto ao presidente Kennedy, receberam rejeição imediata, além do que, o próprio presidente ficou tão cismado com o fato, que tratou de levantar uma série de medidas para limitar o poder da CIA. Três anos depois, Kennedy é assassinado em Dallas. Interessante, não?



18.  Experimento Filadélfia
  
teorias da conspiração
 Ano de 1943. A expansão de tecnologia bélica estava a todo vapor. O objetivo era mudar o rumo da Segunda Guerra Mundial. Em um estaleiro da Marinha, na Filadélfia, um conselho de cientistas estava pronto para colocar em prática um dos projetos mais audaciosos já concretizados: o Projeto Rainbow ( que futuramente se transformaria no projeto Montauk), tinha como objetivo criar um navio invisível aos olhos humanos. Segundo os conspiracionistas, a marinha estadunidense conduziu o experimento no dia 28 de outubro de 1943, usando o destroier U.S.S. Eldridge, sob o comando de Dr. Franklin Reno, em uma ousada aplicação militar da Teoria do Campo Unificado. Eram tempos sombrios, onde a ética e a sensatez eram postas de lado em prol da rapidez nos resultados que poderiam determinar a vitória na guerra. Por esse motivo, a tecnologia foi utilizada sem haver um conhecimento profundo da mesma. E o que os cientistas descobriram foi que eles meteram o nariz no lugar errado. Envolto em uma nuvem esverdeada, o Eldridge sumiu dos radares e ficou invisível à todos que acompanhavam o experimento. Entretanto, a operação não foi um sucesso. Isso porque, a teoria conta que o Eldridge não ficou invisível de fato. O que os cientistas descobriram de maneira acidental foi como abrir uma fenda no espaço-tempo. De acordo com os poucos sobreviventes da operação, o destroier foi teletransportado para Norfolk, Virginia, 600 quilômetros do ponto original , 40 anos no futuro e lá permaneceu navegando pelas águas, em uma tarde ensolarada de 1983, durante 15 minutos e se rematerializou no estaleiro da Filadélfia, após esse tempo. Aqui você deve ter pensado: Mas então eles conseguiram algo muito melhor do que esperavam, não é? Sim, certamente foi, a não ser, é claro, pelo fato que grande parte da tripulação estava fundida com o metal do navio. Os sobreviventes ficaram loucos e dizem que apenas 3 deles conseguiram relatar o que havia ocorrido durante o período de quarentena. Pouco tempo após o incidente, foi criado o Projeto Fênix, continuação do PF, que tinha como propósito estudar os porquês dos porquês do Projeto Filadélfia. Logicamente, o governo americano negou tudo e diz não passar da mais pura imaginação popular. Outra coisa, não me pergunte como sabiam a data exata em que o navio supostamente foi parar no futuro. Não faço nem é ideia, mas é assim que "reza a lenda".



17.  Projeto Montauk
  
teorias da conspiração
 Como citado no item anterior, o projeto Montauk era um projeto que segundos relatos, seria uma derivação do Projeto Rainbow. Quem estudou um pouco da História dos EUA, sabe que eles vivem de hipocrisia. Para o resto do mundo, dizem que são defensores da liberdade e todo aquele papinho de “nós somos os mocinhos”. No entanto, a história mostra outro aspecto, mostra a real face desse país que sustenta os seus pilares com as guerras que cria. Faltou recurso? Só começar uma guerra! A economia anda fraca? Guerra! Os pretextos são sempre os mais ridículos possíveis.
Existem muitas vertentes sobre a história da origem do Projeto Montauk. Alguns afirmam que ele se iniciou na Segunda Guerra Mundial, um projeto ousado que tinha como único propósito encontrar tecnologias revolucionárias capazes de exterminar definitivamente qualquer ameaça aos EUA. Outros, todavia, dizem que começou em 1971, com a intenção de trazer mais poder à um escalão do governo americano. Independente do seu inicio e do seu próposito, esse projeto foi uma das coisas mais insanas que já foram feitas. Teóricos da conspiração relatam que através de depoimentos de militares, políticos, cientistas que dizem terem participado dessa quimera científica, que mais de 7 trilhões de dólares foram gastos em 10 anos de pesquisa. Esse alto custo se deve ao foco dos experimentos: estudo da viagem no tempo, hiperespaço, controle mental, genética avançada para criação de super-humanos, estudo de habilidades paranormais, imortalidade, controle do clima, entre outras completas bizarrices. Inicialmente, quando o projeto não tinha se ramificado em diversos outros projetos, o local escolhido para abriga-lo, era a Air Force Station (ou Camp Hero) em Montauk, Long Island. Sabe-se que o projeto Montauk deixou de ser denominado assim no final dos anos 80 e passou a uma nova etapa. Preciso dizer que o governo sempre negou tudo? Sobre as provas, as únicas encontradas foram alguns documentos codificados que pouco se sabe sobre o real significado e os depoimentos de supostos envolvidos. E, claro, o dinheiro que foi gasto… que gerou um rombo enorme e que levantou suspeita. Porém, como trata-se de uma operação militar confidencial, os arquivos pertencem ao exército, e não podem ser investigados pelo Estado, a não ser por uma ordem presidencial. É claro que todo presidente sabe que mexer com o poder do exercito não é uma boa opção, logo, o segredo sobre o assunto continua...



16.  Majestic 12
  
teorias da conspiração Um dos principais temas abordados pelas teorias da conspiração é a hipótese de que o governo que conhecemos é falso, um teatro que serve de fachada para algo maior que está camuflado e que é o verdadeiro responsável pelas ordens e ações no mundo. Entre esses supostos governos, temos o de codinome Majestic 12. Segundo o ufólogo William L. Moore, Majestic 12 foi um departamento criado inicialmente para lidar com extraterrestres. Teve seu começo com presidente dos EUA, Harry S. Truman, em 1947, após o incidente de Roswell, caso que haveria chamado muito a atenção do presidente pelo seu “potencial”. A princípio, era um comitê que englobaria os maiores cientistas, líderes militares e lideranças políticas do mundo, com o intuito de estudar todo tipo de tecnologia alienígena, assim como, consolidar contatos com outras raças extraterrestres. Entretanto, com o sucesso de alguns projetos, esse seleto grupo percebeu que estava com uma valiosa “arma” na mão. A tecnologia alienígena era inacreditável, capaz de realizar feitos que nós, homens, sequer poderíamos imaginar. E a ganância apareceu e de um departamento, virou um governo. Agora seriam essas pessoas as responsáveis por controlar o mundo, manipulando-o à sua vontade. Algumas versões dizem que o MJ12 é apenas mais um “tentáculo” do governo dos Illuminatis. Existe também a versão que diz que o MJ12 é na verdade uma matriz de um governo alienígena aqui na Terra e que as ordens provinham diretamente dos alienígenas cabeçudos e cinzentos, conhecidos como Greys.



15.  Reptilianos
  
teorias da conspiração  Talvez essa não seja a versão mais crível da origem dos Illuminatis, porém com certeza é uma das mais criativas. Nessa teoria da conspiração, a história dos Reptilianos e dos Iluminattis se cruzam, contudo, para você entender como, teremos que começar a história desde o início. E quando eu falo em inicio, é inicio mesmo, numa época antes da existência humana. Os Reptilianos seriam uma raça milenar de repteis humanoides, originários de uma constelação distante (a qual não é bem definida, porém três hipóteses são mencionadas: Lira, Sirius e Orion). Essa raça é muito evoluída, teriam milhões de anos e tal como os cientistas preveem para nós, humanos, para alcançar esse patamar de existência, seus corpos teriam que se adaptar de uma forma quase que surreal. Seus cérebros seriam enormes comparados ao nosso e eles utilizariam todo o seu potencial, não apenas para corresponder as funções do seu organismo, mas também para controlar o estado vibracional de suas moléculas. Como eles alcançaram esse nível, é obscuro para nós. Todavia, esse não é o nosso foco aqui. Focaremos na nossa relação “amigável” com esses seres e como ela teria começado.
Milhares de anos atrás, as constelações reptilianas estavam em declínio. O ecossistema do seu planeta natal estava entrando num ciclo de cataclismas, tornando a vida impossível. Ao ver esse quadro totalmente desfavorável, o governo reptiliano planejou uma missão tripulada, para renovação da raça, em um planeta distante, capaz de atender suas necessidades de sobrevivência. Esse planeta seria o nosso planeta. Quando a nave chegou a Terra, ela não seria assim, como nós conhecemos. Contudo, os reptilianos haveriam de utilizar sua tecnologia para “recriar” a Terra. Aqui eles se estabeleceram. Mas o nosso planeta não podia oferecer tudo que eles precisavam e muitas de suas tecnologias avançadas acabaram caindo por terra com o tempo. Para manter algumas tecnologias, eram necessários compostos, alguns minérios como o ouro e urânio. Sem maquinário adequado, o jeito foi apelar para a velha forma: trabalho escravo. Os reptilianos eram mestres na genética e escolheram uma raça de macacos que andavam sob as duas patas e tinham uma estrutura corpórea semelhante à deles e dna compatível. Assim, começaram os experimentos genéticos para criar uma raça para exercer o trabalho nas jazidas de minérios. Os geneticistas utilizaram o DNA reptiliano misturado com a raça dos símios para alcançar a nova raça, a raça humana. E por isso, esses seriam “a imagem e semelhança de seu criador”. No inicio, os humanos eram inofensivos, híbridos, inocentes. Essa realidade tímida dos humanos durou até que as necessidades reptilianas aumentaram e uma força de trabalho maior precisou ser estabelecida. A raça humana foi adaptada novamente, dessa vez, não seria mais hibrida, nem inocente, porém o dom da inteligência ainda estaria limitado. E a população humana cresceu. Ficou enorme. E quando os reptilianos perceberam, não podiam mais controlar suas criações. Aconteceu então o primeiro extermínio humano. A população humana foi reduzida a quase zero. Entretanto, não era muito do feitio dos reptilianos fazerem o trabalho pesado das minas. E não demorou muito para eles apelarem para os humanos novamente. Dessa vez, os humanos teriam o dom maior, a inteligência. Foi ofertado à nossa raça, a fonte da inteligência, da arvore da vida – nome simbólico que seria referência à nossa cadeia genética, que foi novamente alterada. Esse seria o nascimento do dito “Adão”. Os reptilianos continuaram a exercer poder sob os humanos, até que a população teria alcançado o nível crítico novamente. O segundo extermínio humano foi cogitado. Só tinha um probleminha: Nesse ponto, os humanos já tinham diversos aliados. Os reptilianos não concordavam entre si sobre o extermínio, de forma semelhante a nós hoje com as demais raças de animais do planeta. Alguns até se relacionavam com os humanos, dando origem a uma terceira raça, que é citada em alguns escritos antigos como Nefilins. Além desse grupo favorável aos humanos, outras raças extraterrestres habitavam o planeta. Na região aonde é a atual Índia, uma outra raça extraterrestre havia se estabelecido, sem falar nas demais raças, como a de Andrômeda, que tinham um afeto especial pelos humanos. Desobedecendo qualquer consenso, o repitilianos desencadearam o segundo extermínio, o dilúvio. O extermínio não foi completo porque os grupos favoráveis à nossa raça, teriam ajudado alguns humanos a sobreviver. Esse ato acabou gerando um conflito entre as raças que habitavam o planeta e boa parte dos reptilianos decidiram retornar ao seu planeta natal, do mesmo modo que as outras raças alienígenas que habitavam a Terra. O grupo remanescente de reptilianos que permaneceram aqui, achavam que os humanos lhe deviam obediência tais como animais de estimação, todavia eram minoria e contornar essa situação requeria muito mais do que mero uso tecnológico. Um plano foi elaborado para que os humanos nunca mais se rebelassem contra seus “donos”. Para isso, era importante que houvesse um grupo entre nós que colocasse parte dos planos em prática. Uma sociedade composta por humanos, reptilianos e híbridos, que seriam a elite que comandaria o homem. Teve a formação da raiz dos Illuminatis. O foco principal dessa teoria é que haveriam reptilianos comandando as ações globais, por trás dos líderes mundiais, e até vivendo disfarçados entre nós.



14.  FEMA
  
teorias da conspiração
 A FEMA (Agência Federal de Gerenciamento de Emergências) preparou um lote com 500 mil caixões, que estão localizados no estado da Georgia, nos EUA, em um campo próximo à Atlanta. O interessante é que cada um deles cabe pelo menos três cadáveres de pessoas adultas e que desde de 2008, a cada ano, mais 500 mil caixões vêm sendo adicionados ao montante. Assim sendo, hoje (2014) teríamos o aproximado a 3 milhões e 500 mil caixões, o equivalente para guardar os corpos de 10,5 milhões de pessoas. Obviamente, as pessoas ficaram preocupadas. Alguns sugerem que o governo dos EUA estaria preparando outro evento catastrófico, como pode ter sido o 11 de Setembro. Ninguém sabe o porquê do elevado investimento e porque o número de caixões cresce absurdamente em quantidade a cada ano.
Conspirações sugerem que os EUA estariam financiando um grande campo de concentração. Várias estruturas como essas foram encontradas trancadas no país. E outras estão em construção. A entrada em um raio de 2 km dessas localidades é proibida.
A suspeita é que o governo estadunidense está ciente de algo terrível, tão terrível que no plano de emergência que foi enviado para o Congresso e os 50 estados dos EUA está divido em 10 áreas prisionais. Existe uma espécie de paranoia instalada, de forma que os EUA está sob jurisdição de 72 centros de fusão ( que seriam as agencias responsáveis pelo policiamento federais, estaduais e dos condados unidas, como a CIA e o FBI ). Todo mundo que, não segue a visão americana, o padrão estabelecido – capitalista , consumista, que adora o superbowl e venera tudo quanto é "distração midiática" – automaticamente entre na lista de “suspeitos”. Há pessoas que confessaram ser investigadas por terem tomado atitudes consideradas banais, como comprar a coleção dos livros de Karl Marx ou por assistir no YouTube o documentário Loose Change. É a matrix te vigiando!



13.  Câncer e HIV
  
teorias da conspiração
Sempre que quando você pensa em futuras grandes descobertas, comumente imagina a cura dessas doenças, ou não? E se eu disser que elas já existem há mais de 10 anos? A teoria diz que em 1998, durante a 12ª Conferência Internacional da Aids, em Genebra, centena de pesquisadores representando grandes conglomerados farmacêuticos apresentaram artigos que mostravam a vacina e a cura da AIDS. Porém, tempo depois, nada foi catalogado, as revistas de maior caráter científico, como a Science e a Nature não colocaram uma nota sequer e os responsáveis pela Conferência e os laboratórios, negam qualquer pronunciamento sobre. O que houve? Começou a vazar na imprensa, cientistas que relatavam que a cura da AIDS teria sido descoberta e que os grandes laboratórios detinham as patentes e não divulgariam. Até então ninguém entendeu bem o porquê da proibição, tamanho seria o prestigio alcançado pelo laboratório que conseguisse tal feito. Não demorou muito para tudo ficar claro: os coquetéis contra a AIDS viraram os segmentos mais lucrativos desses laboratórios. As mega corporações farmacêuticas estariam restringindo a cura aos portadores do vírus para lucrarem com os coquetéis. Porém, esse não seria o primeiro caso onde a cura foi escondida da população. No inicio da década de 90, segundo teóricos da conspiração, a ciência descobriu um método revolucionário para curar o câncer. O método que, resumidamente, tratava de inserir um composto no organismo do paciente que fazia ligações químicas apenas com células cancerígenas. Esse composto altamente seletivo, ao contrário do tratamento tradicional adotado hoje, não traria nenhum efeito colateral aos pacientes. Ao ligar-se com as células cancerígenas, essa molécula era irradiada por uma frequência de som e seu estado vibracional era aumentado, gerando calor e aniquilando a célula cancerígena. Enfim, tudo muito fantástico, a não ser, obviamente, que a método para gerar o composto molecular nunca chegou à publico. E a pergunta é: se descobriram, por que não divulgaram? E a resposta é novamente: dinheiro. É muito mais lucrativo para os laboratórios manter os pacientes a base de medicamentos para conter um câncer ou manter o mesmo em um tratamento demorado do que liberar a cura e ele se curar rapidamente, consequentemente reduzindo consideravelmente o lucro para os laboratórios.



12.  Energia livre
  
teorias da conspiração
Gerar energia, isso sempre foi um problema. Na verdade, o termo “gerar” não é o correto nesse caso, melhor seria “transformar”. E transformar um tipo de energia em outro é um trabalho muito, muito lucrativo. Por isso, a invenção de um aparato que quebrasse os moto-perpétuos, produzindo energia capaz de colocar máquinas em funcionamento, em grandes quantidades e com custo baixo (ou mesmo, de forma gratuita) seria uma ameaça a esse setor da economia e porque não à economia mundial. Dessa forma, tornou-se comum teóricos relatando histórias de pessoas que somem do mapa, sem deixar vestígio, após divulgarem que fizeram uma descoberta nesse campo.
Segundo estudiosos do assunto, uma das maiores vítimas do interesse monetário das organizações e governos foi Nikola Tesla. Tesla foi um dos maiores gênios da História (senão o maior) e teria inventado antes de morrer uma forma de alcançar esse feito. A teoria afirma que ele foi, de fato, bem sucedido, pouco antes de sua morte em 1943, na descoberta da matemática e da mecânica envolvida para produção de energia a custo zero. O aparato foi construído. Contudo, uma organização do governo, provavelmente o FBI, imediatamente após sua construção, invadiu sua casa e confiscou todos os seus papéis e trabalhos. Tesla era uma considerado uma “ameaça” para o governo, principalmente por sua filosofia totalmente anti-capitalista (Tesla sempre buscou a ciência como uma forma de evoluir o pensamento humano, desprezando todo o retorno financeiro, tanto que morreu empobrecido em 1943, aos 86 anos de idade) e seu potencial ( tudo que existe hoje, tecnologicamente falando, sem as descoberta de Tesla não seriam possíveis, tais como o seu amado wi-fi).
O conceito de energia livre é, em termos muito gerais, a capacidade de entrada de X quantidade de energia em uma máquina, que a saída X + 1 quantidade de energia. Isto parece entrar em conflito com a lei da conservação de energia, que afirma que a energia não pode ser criada nem destruída. Tesla acreditava que a lei era incorreta. Inventou a bobina de Tesla como uma tentativa para criar a energia livre. A realidade é que essa ideia é tão radical que ela poderia destruir todo o conhecimento científico que temos hoje, já que boa parte das nossas teorias científicas atuais está embasada em alguma lei da termodinâmica.
Se for possível, a energia livre pode ser aperfeiçoada e o resultado é que todo o planeta pode ser alimentado por uma única fonte de energia. Uma fonte infinita de energia ao nosso alcance. Você pode imaginar como isso iria irritar as companhias petrolíferas, não é?
Eles são a causa da repressão, as alegações da teoria, pois ninguém teria que depender mais dos combustíveis fósseis. Desde a eletricidade necessária para alimentar uma lâmpada até a construção de motores para viagens interestelares, anti-gravidade, etc. tudo seria feito de forma gratuita com a energia livre.
Dessa forma, Tesla nunca se tornou um ícone, como Einsten ou Thomas Edison. As demais patentes de Tesla foram compradas pela empresa JP Morgan que hoje em dia, segundo a Forbes, é uma das maiores empresas do mundo.



11.  Apanhador do Campo de Centeio
  
teorias da conspiração
 O escritor J.D.Salinger é um desses eremitas excêntricos (o outro é THOMAS PYNCHON) que existe na literatura americana. Ele não dá entrevistas, não se deixa fotografar e, recentemente, também parou de escrever. E ninguém é mais genial do que um escritor que não escreve, certo?
O Apanhador no Campo de Centeio, romance mais famoso de Salinger, retrata as dúvidas e fantasias de um adolescente dos anos 1950. Embora escrito num tom lacrimoso de autoajuda (ou, talvez, exatamente por isso), o livro se tornou cult no mundo inteiro. O curioso é que a obra de Salinger foi achada na casa de dois notórios malucos:
Mark Chapman, o assassino de John Lennon, foi encontrado pela polícia quando lia tranquilamente O Apanhador no Campo de Centeio.
John Hincley Jr., o homem que atirou no presidente americano Ronald Reagan para supostamente chamar a atenção da atriz Judie Foster, também tinha um exemplar do livro de Salinger em casa.
Teóricos da conspiração acreditam que o romance é um gatilho mental para matadores pré-programados. Resumidamente, ilustrando o que foi dito acima, supondo que você seja um assassino pré-programado por meio de alguma tecnologia desconhecida pelo público e você, como era de esperar, não faz a menor ideia disso. A missão ficaria “adormecida” na mente do assassino pré-programado, como uma espécie de vírus psíquico, até que você lesse o livro e acionasse a programação.
Embora digam que ele não é o único item que é utilizado como “gatilho”, cuidado manolos, vai que, né? haha.



10.  Redução de 60% da população mundial
  
teorias da conspiração
 Todos os governos do mundo estão se preparando para um evento que ninguém faz a mínima ideia do que seja. São bunkers de milhões de dólares construídos da Noruega, Instalações do FEMA se espalhando por todo EUA, imensas bases militares com abrigos subterrâneos sendo edificados na China, entre outros governos que parecem estar assustados com alguma coisa que está por vir em breve. A suspeita recai sobre o cálculo da Dinâmica dos Sistemas. Em 1990 os cientistas já haviam chegado a conclusão que o planeta não suportaria mais do 8,5 bilhões de habitantes sem entrar em colapso. O cálculo é feito considerando elementos essenciais para sobrevivência do ser humano, como área disponível para o plantio e emissão de poluentes por habitante/ano. O planeta aguentaria cerca de 10,2 bilhões de habitantes se, apenas se, todos os humanos fossem vegetarianos. Mesmo assim, estaria em uma zona crítica, com uma possível guerra eminente entre os povos para adquirir recursos. A projeção é que a Terra atinja esse nível em 2050. A única maneira de o planeta suportar o estilo de vida atual (ou seja, os ricos consumindo e os pobres… você sabe…) é a Terra ter menos de 8,5 bilhões de habitantes. E esse patamar vai ser atingido segundo a projeção antes de 2020. Logo, um controle populacional se torna necessário. E como isso seria feito? Essa é a dúvida. Hà pouco tempo, atingimos os 7 bilhões de habitantes. Para que a medida de controle venha atingir a população antes do colapso é importante que ela seja aplicada antes que a população chegue a 8 bilhões, para caso ela falhe, exista a possibilidade da aplicação do plano B. Ou seja, pode ser aplicada logo. Recentemente, um grupo de pesquisadores conseguiram um vírus da gripe muito mais potente que o H1N1. Segundo eles, esse vírus seria capaz de infectar 6 a cada 10 habitantes da Terra. Agora pense: 6 a cada 10… eles querem reduzir a população para 40%… é interessante como os fatos se encaixam. Os EUA quer proibir que a Science e a Nature publiquem os resultados dos trabalho dos pesquisadores. Contudo, alguns dos teóricos da conspiração mais famosos já perceberam a jogada. É tudo muito simples: eu vou contra a publicação do trabalho, depois, libero o vírus e esse se espalha pelo planeta. Quando apontarem para eu, como culpado dos acontecimentos, eu digo: “Lembra que eu fui contra a publicação do trabalho? Como poderia ser eu?”. É como um quebra-cabeças.



09.  Pearl Harbor foi permitido pelos EUA
  
teorias da conspiração
Os teóricos acreditam que o presidente Franklin Roosevelt provocou o ataque japonês à base naval dos EUA no Havaí, em dezembro de 1942, ele sabia disso de antemão e encobriu o seu fracasso para alertar os comandantes de sua frota. Ele aparentemente necessitaria que fosse provocado um ataque a sua própria pátria para que se pudesse declarar guerra contra os japoneses, porque o público americano e o Congresso era esmagadoramente contra o fato de entrar na guerra. Os teóricos acreditam que os EUA foi avisado de antemão pelos governos da Grã-Bretanha, a Coreia do norte, Austrália, Peru, e da União Soviética que um ataque surpresa a Pearl Harbor estava sendo programado. Além disso, os americanos tinham interceptado e quebrado todos os códigos importantes dos japoneses no período que antecedeu ao ataque. Ou seja, apesar de terem em mãos dados sobre o ataque muito antes de ele ser realizado, inclusive, detalhes minuciosos da operação contida nos códigos japoneses, o governo americano simplesmente ficou de braços cruzados. O resultado disso levantou a suspeita, obviamente, que Pearl Harbor seria apenas um pretexto utilizado pelo próprio governo para iniciar a guerra. Ou é isso ou Roosevelt é um tremendo de um incompetente.



08.  Maitreya
  
teorias da conspiração
 Se você não é budista, é provável que nunca tenha ouvido falar dele. Maitreya (do sânscrito maitri, “amistosidade”) é como é designado o renovador do budismo, o próximo Buda, que reiniciará o atual ciclo iniciado por Siddhartha Gautama, quando os ensinamentos deste tiverem sido esquecidos neste mundo. Muitos cálculos tem sido apresentados para quando este renovador do Budismo deverá renascer, como daqui a 3000 anos. No entanto, há quem diga que ele já está aqui. Em uma oração para Maria Akatsa, em 11 de julho de 1988, no Nairóbi, em meio a uma multidão de 6000 pessoas famintas, um homem apareceu do “nada” (ou pelo menos é o que dizem). O ser que se materializou diz ser o Maitreya. Ele conversou com a multidão na língua local, assim como, se comunicou na língua dos estrangeiros que estavam assistindo a oração. Suas mensagens eram para que o homem focasse em novas fontes sociais, no próximo, no que era necessário para mudança e para o bem de todos. Enfatizava também “…estamos próximo do reinado dos céus”. O acontecimento foi publicado por um jornalista do “The Kenia Times” que estava presente no evento e que tirou as fotografias. Eventos estranhos começaram a acontecer desde então. Há relatos de testemunhos que dizem que o Maitreya apareceu no México (Tlacote), em novembro de 1990. Também haveria aparecido na Nova Zelândia, Alemanha (Nordenau) e Índia (Nadana). As aparições ocorrem sempre nas mesmas condições: frente a multidões e segundo relatos, a tal entidade apenas “aparece”, como se viesse do “nada”. Para a infelicidade de alguns, apenas o evento de Nairobi foi registrado. Fenômenos pouco comuns acontecem nas cidades aonde houve o aparecimento da entidade: uma espécie de símbolo holográfico, chamado de “cruzes de luz” começam a aparecer para os nativos da região. Esses símbolos são um cristal, aparentemente holográfico, que não tem massa, com uma cruz com maior intensidade luminosa no seu interior. Existem diversas teorias e linhas de raciocínio sobre o assunto. Os céticos dizem que tudo não passa de uma armação muito bem arquiteta por B. Creme, um dos maiores estudiosos sobre esses eventos, que seria reforçado pela histeria coletiva provocado nesses cultos religiosos. Os evangélicos dizem que o Maitreya é o próprio Anti-Cristo, profetizado no livro cristão, a Bíblia. Os conspiracionistas dizem que Maitreya é uma armação da NWO, pois eles precisariam de um líder que seria da confiança de todos e nada melhor que alguém considerado um “messias” para ocupar o cargo, sendo que, para isso estariam usando tecnologias avançadas para enganar o povo.



07.  Jesus teve filhos
  
teorias da conspiração
 Até agora foram 80 milhões de cópias vendidas em todo o mundo. Ficou em #1 nas listas de best-sellers em vários países, como Estados Unidos, Alemanha, Argentina e Brasil. Um filme estrelado por Tom Hanks já foi lançado. Trata-se de O Código Da Vinci, escrito pelo inglês Dan Brown.
A trama de um dos maiores sucessos editoriais do mundo, se desenrola a partir do assassinato, dentro do Museu do Louvre, em Paris, de seu curador, Jacques Saunierè (um dos líderes do Priorado de Sião, sociedade secreta fundada antes da crucificação de Jesus Cristo). Pouco antes de morrer, Saunierè teria elucidado uma mensagem cifrada no quadro A Santa Ceia, de Leonardo da Vinci – um segredo capaz de abalar a Igreja Católica e todo o mundo ocidental.
A bela criptógrafa francesa Sophie Neveu e Robert Langdon, professor de simbologia em Harvard, tentam desvendar o segredo. No caminho, os dois cruzam com outras sociedades secretas, como a Opus Dei e os Cavaleiros Templários. A dupla de investigadores faz descobertas surpreendentes: que Jesus foi casado com Maria Madalena e teve dois filhos; que sua divindade foi votada no Conselho de Nicéia, no início do século 4; que os quatro evangelhos da Bíblia foram escolhidos entre 80 outros evangelhos porque consideravam Jesus divino, e os demais foram suprimidos pelo imperador romano Constantino no ano 325.
Trata-se, claro, de uma bela trama policial criada por Dan Brown. No entanto, ela é baseada em teorias conspiratórias aceitas e estudadas no mundo real por muita gente, maluca ou sã. Entramos agora no terreno do que alguns consideram a “maior conspiração de todos os tempos”. A figura-chave nessa intrincada armação é Maria Madalena. De acordo com a Bíblia e as aulas de catecismo, Maria Madalena foi uma prostituta que, arrependida, resolveu seguir Jesus Cristo e os apóstolos, até ser perdoada de seus pecados pelo filho de Deus. Os conspirólogos afirmam, no entanto, que na verdade, ela foi casada com Jesus Cristo, com quem teria tido dois filhos – Sara e Tiago. Os Manuscritos do Mar Morto, descobertos em 1947 numa caverna de Qumran, na Palestina, confirmariam a tese de que Jesus se casou e teve filhos com Madalena, gerando uma linhagem que teria o direito sagrado de reinar sobre a França e Israel. Esses documentos, porém, nunca foram exibidos em público e estão de posse do Vaticano.
Depois da crucificação de Jesus, Maria Madalena e seus filhos teriam fugido para uma comunidade judaica no sul da França. No polêmico e confuso livro Rex Deux, de Marilyn Hopkins, Graham Simmans e Tim Wallace-Murphy, a teoria vai além, dizendo que Madalena chegou à França só com uma criança, Sara, enquanto Tiago foi para a Escócia com José de Arimatéia, o homem que recolheu num cálice o sangue de Jesus crucificado.
Seria essa a razão de existirem na França tantas igrejas em homenagem à Maria Madalena. Uma delas fica na cidade de Rennes-Le-Château, no sul do país. Em 1891, o padre da cidade, chamado Berenger Saunière (atente para a semelhança entre esse sobrenome e o do personagem de O Código Da Vinci) decidiu reformar a igreja consagrada a Maria Madalena, construída em 1059 e já deteriorada pelo tempo. O padre levantou uma grana na comunidade e iniciou as obras. Ao retirar a pedra do altar principal, percebeu que as colunas que o sustentavam eram ocas. Dentro de uma delas havia quatro pergaminhos escritos em latim. Dois deles continham genealogias e datavam de 1244 e 1644. Os outros dois eram transcrições do Novo Testamento e traziam duas mensagens secretas. A primeira mensagem dizia: “A Dagoberto II, Rei, e a Sião, pertence esse tesouro e ele está aqui morto”. Já a outra mensagem era praticamente indecifrável: “Pastor, nenhuma tentação. Que Poussin, Teniers possuem a chave. Paz 681. Pela cruz e seu cavalo de Deus, eu completo esse demônio do guardião ao meio-dia. Maçãs azuis”. Entendeu?
Saunière levou os pergaminhos para serem analisados pelas autoridades eclesiásticas de Paris. Não se sabe o que aconteceu, mas ele voltou para Rennes-Le-Château com muito dinheiro. Ampliou a estrada que levava à cidade, construiu uma casa chamada Torre Magdala e uma casa de campo. Terminou a reforma da igreja e deixou alguns detalhes capciosos na construção. A pia de água benta é sustentada por uma estátua de Asmodeus (demônio de três cabeças da literatura judaica, responsável por separar casais e promover o adultério). Os vitrais da igreja mostram a Via Sacra e, em uma imagem, há uma criança com saiote escocês observando a crucificação (lembra-se de que José de Arimatéia teria levado Tiago, filho de Jesus com Madalena, para a Escócia? A imagem seria uma confirmação da tese).
Outra cena mostra o corpo de Jesus sendo retirado secretamente da tumba durante a noite. Saunière mandou gravar em latim, no pórtico da igreja, a inscrição “Este lugar é terrível”. Teorias conspiratórias afirmam que o padre encontrou documentos que confirmam a existência da linhagem secreta de Jesus e os usou para chantagear o Vaticano.
Mas recuemos um pouco no tempo. Na França, Sara e outros supostos descendentes de Jesus e Madalena se misturaram à linhagem real francesa, dando origem à dinastia merovíngia. E é a partir daí que a história ganha corpo – e complexidade.
Os reis merovíngios governaram grande parte da França e da Alemanha entre os séculos 6 e 7. O fundador da dinastia se chamava Mérovée, que, segundo a literatura esotérica, era filho de uma princesa com uma criatura marinha – na verdade, essa criatura fantástica seria uma alusão à suposta linhagem secreta de Jesus e Madalena, antepassados dos merovíngios.
Segundo os conspirólogos, a Igreja Católica temia que, se essa linhagem crescesse, o segredo de Jesus e Madalena fosse revelado, levando o mundo a questionar a doutrina católica (e a crença em um Messias divino puro). No entanto, os merovíngios foram aumentando e fundaram Paris (isso é fato). Apavorado, o Vaticano financiou várias missões na França para eliminar todos os membros da dinastia. Essas missões seriam chamadas de Graal – daí, a busca pelo Santo Graal.
Dagoberto II foi o último rei merovíngio. Morreu apunhalado no olho esquerdo enquanto dormia. O que o Vaticano não sabia era que ele tinha um filho, Segisberto, que escapou do ataque e deu continuidade à linhagem. Atualmente, o sangue merovíngio é identificado com o dos Habsburgos, da Alemanha.
Um dos descendentes de Segisberto, Godofredo de Bulhão, futuro rei cristão de Jerusalém, teria fundado em 1090 a organização secreta Priorado de Sião, cujo objetivo era recolocar a dinastia merovíngia no trono da França. Uma outra corrente conspiratória diz que o priorado teria sido criado 90 anos mais tarde, em 1099, quando Jerusalém foi conquistada pelos cruzados e Godofredo assumiu o título de Defensor do Santo Sepulcro.
O Priorato de Sião fez parte da Ordem dos Cavaleiros Templários até 1188, quando se separaram. O Priorato de Sião sobreviveu ao extermínio dos Templários na sexta-feira 13 de 1307 e está ativo até hoje. Seus objetivos atuais são defender os documentos sobre o Santo Graal, a tumba de Maria Madalena e os poucos membros da linhagem merovíngia real que sobreviveram até os tempos modernos – ou melhor, a linhagem de Cristo. Figuras históricas como Leonardo da Vinci, Victor Hugo, Sandro Botticelli, Clau-de Debussy e Isaac Newton fizeram parte dessa fraternidade (isso é fato e pode ser comprovado por meio de pergaminhos chamados Os Dossiês Secretos, descobertos em 1975 pela Biblioteca Nacional da França).
A Ordem dos Cavaleiros Templários, do qual o priorato supostamente fez parte, foi criada em 1118 para proteger as rotas de peregrinação e comércio que ligavam Jerusalém à Europa. Foi o primeiro exército uniformizado e regular a surgir no Ocidente depois da queda do Império Romano. Os Cavaleiros Templários eram financiados pela Igreja e logo se tornaram ricos proprietários de terras, o que gerou a cobiça do rei da França, Felipe, o Belo, que acusou-os de heresia e os queimou na tal sexta-feira, 13. A desculpa era de que os cavaleiros cultuavam um demônio de três cabeças (lembra-se de Asmodeus?) – que, segundo os conspirólogos, nada mais era do que a cabeça embalsamada de Jesus Cristo encontrada pelos cavaleiros nas ruínas do Templo de Salomão. Outras teorias dizem que, durante as escavações nas ruínas, os cavaleiros teriam achado a Arca da Aliança e descoberto toda a verdade sobre o Santo Graal. Por isso, tinham que ser exterminados.
Na tradição cristã, o Graal aparece em dois momentos: primeiro, é usado na celebração da Santa Ceia e, depois, para recolher o sangue de Jesus Cristo na crucificação. Alguns teólogos acreditam que o cálice ficou com José de Arimatéia, que o enterrou na cidade de Glastonbury, na Inglaterra. Conspirólogos dizem que o cálice, na verdade, ficou com Maria Madalena, que o levou para a França. Mas a teoria mais aceita pelos conspirólogos é a de que o Graal não é um objeto, mas sim a tal linhagem de Cristo. Em muitos manuscritos antigos, o cálice é chamado de sangreal, que significaria “sangue real”. Para saber a verdadeira resposta a esse mistério, só mesmo encontrado o Santo Graal.



06.  Assassinato da princesa Diana
  
teorias da conspiração
 A princesa Diana foi assassinada pelo Serviço Secreto Britânico, apoiado pela CIA? É no que os conspirologos acreditam. Em especial o jornalista inglês Sherman H. Skolnick, editor do site HotLines News e moderador do programa de televisão Broadsides . Ele escreveu um longo artigo, publicado em várias páginas de conspirações, justificando sua teoria.
Como se sabe, Diana era a herdeira de uma das maiores fortunas mundiais e estava a ponto de fundí-la com Dodi Al-Fayed, seu namorado árabe. O que seria, na opinião de Sherman, um desastre para as potências financeiras ocidentais.
Em 31 de agosto de 1997, Diana e Dodi morreram em um acidente de carro em um túnel, em Paris (curiosamente, em tempos passados, o local abrigava um monumento chamado Templo de Culto à Deusa Diana).
Sherman conta que no mesmo dia da tragédia, o jornal London Sunday Mirror já tinha impresso uma história, insinuando que o namoro acabaria por destruir a Monarquia.
Ao longo de suas investigações, Sherman obteve duas informações confidenciais. A primeira revelava que a rainha Elizabeth estava planejando prejudicar a Harrods (grande loja de departamento, de propriedade do pai de Dodi), em Londres. A rainha-mãe teria proposto também à família real o exílio da princesa, o que não era viável, uma vez que o filho mais velho de Diana seria, na ordem sucessória, o próximo rei da Inglaterra.
Sem outra alternativa, a Inteligência Britânica teria decidido pela morte de Diana, num acidente de automóvel.
“É um método corriqueiro. Eu mesmo e o Comitê dos Cidadãos para Moralização das Cortes fizemos suposições sobre como os Estados Unidos e a Inteligência Britânica conduziram em conjunto a Operação Clydesdale, unidade criada para abafar casos de pornografia, sem qualquer processo judicial, provocando falsos acidentes automobilísticos.”, diz Sherman.
Em abril de 1998, o pai de Dodi mandou seu chefe da segurança à Viena, Áustria, para negociar com um homem que oferecia documentos confidenciais pela bagatela de 10 milhões de libras esterlinas. Segundo Sherman, os documentos exibiam provas de que a Inteligência Britânica tinha pedido ajuda da CIA para assassinar Diana.
Uma outra hipótese levantada pelos conspirologos: Diana era uma agente da CIA, com a missão de acabar com a realeza britânica. E foi morta porque, cansada de desempenhar esse papel, estava prestes a denunciar sua condição ao jornal francês Le Monde.
De qualquer forma, Sherman, bem como a jornalista Jane Tawbase, do Eurobusiness, levantaram algumas suspeitas interessantes. Dentre os papparazzi, inicialmente considerados como os causadores da tragédia, havia seis franceses e um marroquino. Os primeiros deram entrevistas, tornaram-se, mesmo que involuntariamente, pessoas públicas. “Mas e o marroquino?”, pergunta Jane. Simplesmente sumiu. Seria ele um assassino profissional?
Dizem ainda que o motorista do carro, Henri Paul, que há 10 anos servia a família de Dodi, estava bêbado. Um filme gravado pelo pai de Dodi mostra que Paul caminha normalmente ao sair do Hotel Ritz, em direção à Mercedes que conduziria Diana e Dodi.
“De acordo com os testes feitos, Paul teria no sangue uma quantidade de álcool equivalente a duas garrafas de vinho. Ora, alguém nesse estado estaria cambaleando”, lembra Sherman.
Mais ainda: Paul tinha recebido um diploma de direção defensiva da fábrica Mercedes-Benz mas desceu uma curva a mais de 150 quilômetros por hora. Por que cometeria tal desatino, se tinha ciência de que, daquele jeito, correria risco de vida? Para o pai de Dodi, Paul era uma gente da CIA preparado para o sacrifício.
Há outros pontos obscuros. A ambulância que levou Diana demorou quarenta minutos para percorrer uma distância de cinco quilômetros até o hospital.
“E por que os médicos que a socorreram não pediram um helicóptero de resgate? É evidente que ela estava marcada para morrer”, argumenta Jane.
O mais intrigante para os dois jornalistas é que o guarda-costas Trevor Rees Jones, único sobrevivente do acidente, perdeu o lábio inferior, 2/3 da língua e fraturou em diversos pontos o maxilar. Ou seja, os agentes secretos queriam a todo custo que Rees Jones não abrisse a boca. Sabiamente, o segurança alegou uma amnésia.



05.  Aquecimento global
  
teorias da conspiração
Todos nós sabemos o que é o Aquecimento Global. Não há qualquer dúvida de que o clima está a aquecer, com consequências que se podem tornar catastróficas para algumas comunidades.
Parece que o homem está finalmente, depois de destruir muitos ecossistemas, afetando diretamente o clima, e começando a pagar pela sua irresponsabilidade. Certo? Errado!
Nos anos 40 do século XX, houve um arrefecimento global do clima. O inverno de 1942, por exemplo, foi o mais frio registado no século, e a temperatura global continuou a cair pelos 30 anos mais próximos, até por volta de 1975, coincidinto com o período de industrialização mais desenfreado do pós-guerra. Este fenômeno preocupou o público. Estaria a terra aproximando-se de uma nova Idade do Gelo? Há alguns livros de cientistas, escritos nos anos 60-70, defendendo a teoria de que a poluição e a emissão de CO2 para a atmosfera estava a provocar um arrefecimento global e a vinda a curto prazo de uma nova idade do gelo. Esta teoria foi paulatimamente esquecida, porque o clima começou a aquecer, e manteve-se razoavelmente estável nos anos 70 e 80. Mas continuou lentamente a aquecer, e na última década acelerou o aquecimento. Então, começamos a ver artigos de cientistas de que o homem, destruindo ecosistemas e aumentando a emissão de CO2 para a atmosfera, está a provocar o aquecimento global do clima. Não deixa de ser estranho que, no prazo de cerca de 40 anos, os mesmos fenômenos sejam identificados primeiro como provocadores do arrefecimento global, e agora provocadores do aquecimento global.



04.  Nobreza negra
  
teorias da conspiração
Este é um grupo extremamente poderoso que alguns europeus dizem ser o núcleo de todas as sociedades, porque eles afirmam possuir “A Verdade” (aquela da Árvore do Conhecimento, do Éden) e por estarem geneticamente ligados a Cristo por meio de sua linhagem sanguínea por meio de Davi, criando a Aliança Davídica, ao passo que aqueles que são descendentes de Abraão pertencem à Aliança Abraâmica, o que indica a diferença entre judeus, cristãos e muçulmanos. Essa organização tem sido capaz de permanecer no poder “por meio da manutenção das linhagens sanguíneas”. Se você jogou Assassins Creed, pegou parte dessa história de forma adaptada. “A Verdade” é sobre o que tudo isso se trata, o conhecimento a respeito da essência do nosso universo. Os estudiosos do tema dão alguns palpites: “A verdade” poderia ser um livro, com conhecimentos muito remotos, passado de geração em geração para a linhagem de Davi. Também poderia ser um artefato tecnológico, poderia ser uma mensagem entregue diretamente por Deus à Davi; enfim, são inúmeras as possibilidades, há até aqueles que acreditam que seja como demonstrado no jogo do AC, um objeto alienígena que transmite o conhecimento ao seu portador.  Assim como a lenda da Lança de Longinus, “A Verdade” é algo tão poderoso que quem a possui sempre estará no poder. Entre as personalidades mais conhecidas que fazem parte da nobreza negra está a realeza britânica e o Conde Vlad III, o Empalador, mais conhecido por nós como Conde Drácula.



03.  Deslocamento dos polos magnéticos
  
teorias da conspiração
Algumas pessoas acreditam que os polos norte e sul da Terra nem sempre estiveram onde estão hoje. Elas acham que a Terra já girou em um eixo diferente. Outras dizem que a Terra sempre girou perto de seu eixo polar, mas que a crosta da Terra se desloca, de modo que a terra localizada em cada polo muda. Mudanças climáticas, terremotos e erupções vulcânicas são resultado das pressões na crosta terrestre durante o deslocamento. Algumas pessoas afirmam que a Terra logo sofrerá outro deslocamento polar drástico e que, consequentemente, continentes inteiros poderão afundar enquanto outros sairão do mar.­
A hipótese de deslocamento polar entra no mundo das teorias de conspiração quando algumas pessoas alegam que autoridades governamentais e cientistas sabem do deslocamento iminente, mas se recusam a compartilhar a informação com o público, provavelmente, guardando o segredo para evitar pânico. Céticos descartam a hipótese de deslocamento polar, dizendo que não há uma base científica real. No entanto, à pouco tempo, hipóteses sobre essa possível ocorrência têm sido apresentadas inclusive na mídia.



02.  Civilização de Marte
  
teorias da conspiração
Na década de 70, a NASA lançou duas espaçonaves chamadas Viking 1 e Viking 2 em missões a Marte. As duas espaçonaves fotografaram a superfície de Marte e enviaram as imagens para a NASA. Em uma foto, um monte na superfície de Marte se assemelhava a um rosto.
Autor e teórico de conspiração Richard Hoagland foi um passo além e disse que não apenas parecia, mas era definitivamente um rosto. Hoagland desenvolveu a teoria de que uma civilização alienígena colonizou Marte e que o rosto era a prova de uma cidade alienígena na região de Cydonia.
Quando outros satélites fotografaram a superfície de Marte, as imagens da região de Cydonia revelaram que o rosto era apenas um planalto que sofreu erosão. Hoagland argumentou que o equipamento que a NASA usou para tirar as fotos subsequentes não era tão preciso quanto o equipamento da Viking. Ele também afirmou que a NASA tratou as imagens, fazendo-as parecerem menos com um rosto



01.  NWO - Nova Ordem Mundial
  
teorias da conspiração
Nova Ordem Mundial (NWO) é uma teoria conspiratória, na qual um grupo poderoso e secreto está planejando dominar o mundo através de um governo mundial único. A Nova Ordem Mundial seria um plano com o objetivo de derrubar governos de todo o mundo, bem como erradicar em todo o mundo todas as religiões e crenças, para unificar a humanidade sob uma “nova ordem”, que seria baseada em uma ideologia extremamente uniforme, uma moeda única e uma religião universal.
Nesta teoria, ocorrências significativas são ditas que são causadas por um grupo extremamente poderoso e secreto ou de vários grupos interligados. Acontecimentos históricos e atuais são vistos como passos de um curso planejado para governar o mundo principalmente através de uma combinação de políticas financeiras, corrupção política, engenharia social, controle mental, e o medo à base da propaganda (cultura do medo).
Uma das variantes da moderna teoria conspiratória da Nova Ordem Mundial seria um plano concebido por Adam Weishaupt, fundador dos Illuminati, que segundo os teóricos, ainda existe e continua a perseguir a implementação desta nova ordem. O chamado “processo de globalização” iniciado no final do século XX a nível mundial, seria uma das muitas facetas do estabelecimento progressivo dessa nova ordem.
A teoria de Conspiração da Nova Ordem Mundial pode ser apresentada por qualquer pessoa ou grupo de pessoas que temem a perda da sua liberdade ideológica e liberdades religiosas, sejam eles da extrema-direita ou de extrema-esquerda, bem como por cristãos fundamentalistas, grupos de conservadores e liberais. Essa Teoria conspiratória do final do século XX e início do século XXI permitiu a fusão de muitas ideias que tem aberto a mente das pessoas sobre a natureza da conspiração da Nova Ordem Mundial e da identidade dos seus conspiradores que existem desde a antiguidade.
Proponentes da teoria oferecem diversas observações que eles consideram como sendo de apoio à teoria:
Eles apontam para diversos sinais e símbolos maçônicos que se encontram embutidos nos murais no Aeroporto Internacional de Denver  ou esculpidos em edifícios públicos (particularmente em Washington DC) ; símbolos supostamente dos Illuminati incorporados no Grande Selo dos Estados Unidos com as palavras “Novus Ordo Seclorum” que em latim significa “nova ordem dos séculos”, ou que foi impresso na nota de um dólar americano a partir de 1935 pelo secretário do Tesouro dos EUA, Henry Morgenthau Jr., sob demanda do então Secretário de Agricultura e futuro Vice-presidente dos Estados Unidos, Henry A. Wallace, sob a influência de Nicholas Roerich. Alguns veem pentagramas e outras formas supostamente ocultas concebidas no planejamentos de cidades.
Alegam que os sinais e os símbolos têm sido encontrados em , templos Mórmons da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias,e sobre a roupa de vários clérigos. Os Cavaleiros de Colombo e da Ordem Soberana e Militar de Malta, como na Maçonaria, utilizam muitos desses rituais e símbolos complexos.
Os defensores desta teoria afirmam que algumas pessoas fazem parte da conspiração. A maioria das famílias proeminentes, tais como os Rothschild, os Rockefeller (a família de banqueiros que comandam o mundo), a família Bush, os Morgan, os Warburge os Du Pont, monarcas europeus e da família real saudita, o Vaticano e os sionistas estão alegadamente entre os importantes membros. Alguns modernos papas e membros hierarquia da Igreja Católica Romana são também citados e estariam a desempenhar um papel e têm utilizado a expressão Nova Ordem Mundial, em seus discursos: João XXIII, Paulo VI, João Paulo I, João Paulo II, e Bento XVI.
Os defensores desta teoria afirmam que muitas organizações internacionais como o Banco Mundial, o FMI, a União Europeia, as Nações Unidas e a OTAN são fundamentais para as organizações da NWO. Presidentes e primeiros-ministros de nações também estão incluídos na teoria. Uma versão alternativa da teoria da Nova Ordem Mundial afirma que essas famílias e as pessoas estão todas relacionadas à mesma linhagem de sangue.
Seguidores da teoria da NWO incluem os seguintes grupos suspeitos, de tentar criar uma nova ordem mundial, estes grupos são vistos como parte da frente organização (ões): Comissão Trilateral, Conferência Bilderberg, Council on Foreign Relations, Clube de Roma, Nações Unidas, Projeto para o Novo Século Americano, Federal Reserve Bank, Maçonaria, G8, Caveira e Ossos,Ordem de Malta, CIA.
O cronograma da NWO é apresentado pelos estudiosos pela seguinte forma:
Há vários eventos que são considerados fundamentais para o estabelecimento da Nova Ordem Mundial:
• Em 1776, na Baviera os Illuminati foi fundado (1 de Maio de 1776), em Ingolstadt (Alta Baviera) pelo jesuíta Adam Weishaupt(1748-1830), que foi o primeiro professor de estabelecer Direito Canônico na Universidade de Ingolstadt.
• Em 1832, Caveira e Ossos foi fundado na Universidade de Yale.
• Em 1903, a Os Protocolos dos Sábios de Sião foram publicados na Rússia.
• Em 1913, o Ato de Reserva Federal (Federal Reserve Act) foi aprovado, criando o Sistema de Reserva Federal (Federal Reserve System).
• Em 1921, o Council on Foreign Relations foi fundado em Nova York.
• Em 1935, o reverso do Grande Selo dos Estados Unidos da América com o Olho da Providência acima da pirâmide apareceu pela primeira vez na parte de trás da nota um dólar dos EUA.
• Em 1944, o Acordo de Bretton Woods foi assinado, delineando um regime para a economia mundial para o pós-II Guerra Mundial
• Em 1945, as Nações Unidas (ONU) foi criada.
• Em 1954, o Grupo Bilderberg foi fundado.
• Em 1957, a Comunidade Econômica Europeia (Mercado Comum Europeu), foi formado, que em 1992 mudou seu nome para a União Europeia. Atualmente, a UE tem 27 membros, 15 dos quais utilizam uma moeda comum, o euro.
• Em 1963, a Comissão do Codex Alimentarius foi criada pela Organização para Agricultura e Alimentação e a Organização Mundial de Saúde, mais tarde passa a ser apoiada pela Organização Mundial do Comércio.
• Em 1973, David Rockefeller e Zbigniew Brzezinski, organizaram a Comissão Trilateral. O Clube de Roma publicou um relatório intitulado “regionalizado e Adaptativo para o Modelo de Sistema Global “, que propõe que o mundo é dividido em dez regiões.
• Em 1945, as Nações Unidas criaram a Organização Internacional do Comércio (ITO- International Trade Organization). Em outubro de 1947 um acordo foi alcançado pelo Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio (GATT). O grupo foi renomeado a Organização Mundial do Comércio (OMC) em 1995.
• Em 1998 foram criadas as Cartas INWO ( Illuminati New World Order, em português: Nova Ordem Mundial Illuminati). Há algumas cartas que possuem fatos que já aconteceram como a carta “Terrorist Nuke” que fala sobre as Torres Gêmeas do World Trade Center.
• Em 2001, as torres do World Trade Center e o Pentágono foram alvo de ataques terroristas pelo grupo fundamentalista islâmico Al-Qaeda, episódio que resultou na morte de milhares de pessoas. Muitas pessoas acreditam que eles foram realizados ou apoiados pelo próprio governo dos EUA. Os ataques de falsa bandeira têm sido relacionados às ideias sobre a Nova Ordem Mundial, por vezes, apresentados como operações psicológicas para assustar os Americanos em ceder as suas liberdades civis para uma autoridade de “segurança interna” que acabará por sua vez no controle dos Estados Unidos ao longo de um “governo mundial, uma ditadura.
• Em 2001, o U.S.A. Patriot Act (ato patriótico dos EUA) foi assinado por George W. Bush, o que amplia a autoridade dos EUA na aplicação da lei para o objetivo declarado de combater o terrorismo nos Estados Unidos e no estrangeiro.
• Em 2002, a FDA aprovou a fabricação do implante do microchip (humano) VeriChip. Isso despertou o medo que alguns governos totalitários no futuro possam aplicar a implantação desses chips e, assim, ser uma forma da marca da Besta mencionada no livro do Apocalipse. (Apocalipse 13:16-13:17)
• Em 2004, o Força Tarefa Independente sobre a América do Norte, um projeto organizado pelo Conselho de Relações Exteriores propõe a criação, até 2010, de uma comunidade norte-americana econômica e de segurança, geralmente referido como o União Norte Americana. Foi proposto por Robert Pastor, um vice-presidente da Força Tarefa, que a União norte-americana teria uma moeda comum, o amero.
• Em 2007, o presidente dos EUA George W. Bush assinou a lei em vigor a Diretiva Presidencial Segurança Nacional e Segurança Interna que concede-lhe (ao presidente) amplos poderes durante um tempo de “emergência nacional”. Esta diretiva concede poderes sem precedentes ao Comandante-em-Chefe das Forças Armadas dos EUA (o presidente), sem qualquer tipo de controles e equilíbrios imperiosos do Congresso dos Estados Unidos.

fonte, fonte.





Compartilhe no Facebook Compartilhe no Tweeter Compartilhe no Google+ Inscreva-se no nosso Feed Voltar ao Início Image Map

Comente com o Facebook: