sábado, 7 de setembro de 2013

Contos do Zumbi: A Maldição da Punheta Cigana

A Maldição da Punheta Cigana



  Carlos era um cara legal, como qualquer outro. Adorava entrar no xvideos, redtube e 4cam. Por não ser um cara muito popular com as garotas, sua válvula de escape era "descabelar o palhaço" na frente do computador. Todo dia, por várias vezes ele repetia  o mesmo ritual: do lado do monitor uma caixa de lenços, navegação privada para não deixar histórico, mão direita no mouse e a esquerda no "carlinhos". O tempo passava e a tara de Carlos só piorava; ele já havia "descascado uma" para morenas, ruivas, loiras, negras, asiáticas, gordas, magras... Ele precisava encontrar algo diferente, algo mais exótico que saciasse os seus instintos.
  Um belo dia, Carlos estava saindo de um campinho de futebol o qual havia jogado uma partida com alguns amigos. Passando por um terreno abandonado, ele pôde notar que haviam várias barracas, e alguns carros até que desproporcionalmente novos comparados à precariedade do local. Ele reconheceu do que se trava: era um acampamento de ciganos. Havia um varal com alguns vestidos coloridos pendurados, então algo muito pervertido passou pela cabeça de Carlos: roubar a calcinha de uma cigana e usa-la para se masturbar.
  Apesar do medo de ser pego, não parecia haver pessoas no local, então sua mente pervertida venceu, ele foi se esgueirando pelos cantos das barracas até o local. Ele pôde ouvir algumas vozes, mas de qualquer forma ele já estava ali: era só pegar uma e sair correndo com o espólio.
  Então ele puxou-a do varal, fazendo o prendedor que a segurava cair, a corda ficou balançando. Seu coração palpitava, era muita emoção, ele pegou a calcinha, levou-a ao nariz e inalou profundamente para sentir o seu cheiro, e então sorriu. Ao virar-se, ele deu de cara com uma velha senhora cigana trajando um vestido rosa-brilhante, e com uma cara de pouquíssimos amigos. Ela começou a xinga-lo; quando ela fez isso, mais ciganos surgiram de algumas barracas. Carlos mais que imediatamente saiu correndo, levando o seu "prêmio", enquanto a velha pronunciava algumas frases as quais ele não podia compreender. Apesar de tudo, ele conseguiu escapar de lá sem ser perseguido pelos ciganos.
  Chegando em sua casa, o medo já havia passado, e a emoção e o orgulho de seu ato tomaram conta de Carlos; ele não via a hora de "usar" a calcinha em seus atos libidinosos. Então, ele trancou-se em seu quarto, foi para a cama, pegou a calcinha e a sua caixa de lenços, e começou o trabalho manual. Ele estava realmente muito extasiado. O que ele não podia contar, era que algo estava diferente naquele quarto, a temperatura do ambiente havia caído subitamente, então algo aterrador, uma figura negra saiu da calcinha da cigana e tragou a força vital de Carlos, que teve um ataque cardíaco e morreu ali mesmo, com o berimbau na mão. Foi uma vergonha para a família encontra-lo morto naquela situação.
  Semanas após o seu falecimento, várias pessoas relataram terem tido aterradoras experiências ao encontrar uma figura sinistra se masturbando em seus quartos. Não só mulheres, mas garotos, inclusive.

Moral da história: Passe o link desse conto para mais 3 pessoas, ou Carlos vai aparecer no seu quarto à noite para se masturbar.






Compartilhe no Facebook Compartilhe no Tweeter Compartilhe no Google+ Inscreva-se no nosso Feed Voltar ao Início Image Map

Comente com o Facebook: