segunda-feira, 9 de setembro de 2013

10 Assustadores casos históricos sobre vampiros

  Quando as pessoas pensam em vampiros, elas costumam pensar em vampiros ficcionais famosos como Drácula ou seu equivalente histórico, Vlad, o Empalador. Recentemente, as pessoas acostumaram-se a ligar sua imagem aos vampiros de 'Diários de um Vampiro' ou aos brilhantes vampiros de 'Crepúsculo'. Contudo, percorrendo a história da humanidade, houve vários relatos sobre vampiros que se originaram a partir de acontecimentos reais ou pessoas, que não eram parecidos nem um pouco com galãs, e costumavam tocar o terror. Confira.



10.  Peter Plogojowitz
   O caminhante dos sonhos
  Peter Plogojowitz foi um homem que viveu na Sérvia em 1700 e acabou morrendo (não iremos todos?). Exceto que - segundo alguns - ele realmente não continuou morto. Dentro de 10 semanas após sua morte, nove pessoas morreram repentinamente de uma doença misteriosa, e antes de suas mortes, todos eles acusaram Peter Plogojowitz de estrangular-los em seus sonhos. O próprio filho de Peter relatou ter visto ele na cozinha, três dias após sua morte, exigindo alimentos, antes que ele também morresse misteriosamente. A esposa de Peter fugiu da cidade depois que ela alegou que ele apareceu um dia, tarde da noite, para pedir um par de sapatos.
  O Exército foi chamado, e o corpo de Peter foi exumado. Foi relatado que ele estava respirando e que seus olhos estavam abertos se movendo. Uma estaca foi colocada em seu coração, resultando em um jorro "Tarantino-esque" de sangue, e seu corpo também foi queimado. As mortes e os sonhos então cessaram abruptamente.



09.  O Vampiro do castelo de Alnwick
   O Vampiro Corneado
  O vampiro do castelo de Alnwick, na verdade antecede o termo "vampiro." Os eventos foram registrados por um cronista Inglês chamado William de Newburgh. Ele relatou a história de um homem que voltou dos mortos depois que morreu enquanto espionava sua esposa traindo - ele estava agachado no telhado e caiu. Ele, então, voltou como um "revenant" - uma espécie de cadáver-fantasma-andarilho - espalhando pragas em seu rastro.
  Eventualmente, um padre reuniu alguns dos seus paroquianos e encontrou o túmulo do vampiro. Eles abriram-no e esfaquearam o cadáver com uma pá. O sangue quente correndo do corpo confirmou as suspeitas de que ele tinha bebido o sangue dos vivos (lembre-se que isto foi à quase 800 anos antes de Drácula, de Bram Stoker). Eles queimaram o corpo, e então os ataques cessaram.



08.  O vampiro de Highgate
   Vampiro do cemitério
  Em 1969, animais mortos - completamente sem sangue e com feridas de perfurações no pescoço - começaram a aparecer no Cemitério de Highgate, em Londres. Em seguida, testemunhas relataram ter visto uma figura alta e morena, que emitia uma aura maligna e tinha um olhar hipnótico. Um homem relatou que ele ficou confuso e totalmente perdido ao tentar deixar o cemitério. De repente, ele se viu de frente com o Vampiro do Highgate - que com o olhar fixo nele, parecia estar colando-o no local. Depois de um tempo, ele desapareceu.
  Relatos da imprensa levaram o cemitério a ser pisoteado por um exército de caçadores de vampiros autoproclamados. Eles desenterraram várias sepulturas, levando os conservacionistas a ficarem na entrada do cemitério vigiando durante as noites. Eventualmente, os avistamentos e os relatórios sobre o vampiro diminuíram.



07.  Sava Savanovic
    O vampiro-fantasma do moinho
  A única coisa mais assustadora do que os vampiros são os fantasmas. Mas imagine algo mais assustador ainda: um vampiro-fantasma. Conheça Sava Savanovic. Sava era um vampiro sérvio que vivia em um antigo moinho e se alimentava de viajantes incautos e andarilhos que se aproximaram do moinho depois de escurecer.
  Savanovic não foi morto ou expulso como a maioria dos outros sanguessugas nesta lista. De acordo com moradores, um dia ele simplesmente parou de atacar. Enquanto isso, o moinho onde ele morava foi passado de geração em geração, cada novo proprietário tinha muito medo de realizar reparos no edifício, até que ele finalmente acabou entrando em colapso. Então, os moradores relataram que ele despertou de seu longo sono e percorreu os campos da sérvia à procura de um novo lar. E não foi apenas os moradores supersticiosos que fizeram essas alegações. O conselho real foi quem emitiu o alerta sobre o vampiro. Suspeita-se que tenha sido um golpe de publicidade para atrair turistas à região - Bom, esperamos que tenha sido mesmo.



06.  O Vampiro de Croglin Grange
   O vampiro-zumbi

  Esse caso já foi relatado aqui no Zona 33, e você pode ler a versão mais completa sobre o caso, clicando AQUI. Agora vamos à versão resumida:
  Este evento começou nos anos de 1800, quando a família Cranwell fixou residência em Groglin Grange, Cumbria. Lady Cranwell percebeu estranhas luzes no jardim abaixo, mas não se preocupou com isso, até que ela acordou para encontrar as luzes em sua janela, mas elas não eram luzes, eram olhos.
  Lady Cranwell ficou congelada em terror quando viu a coisa do lado de fora de sua janela remover os painéis, um por um antes de atravessar a mão podre para abrir o trinco. Seus irmãos ouviram gritos e correram para ajudá-la, chegando a tempo de vê-la com o pescoço sangrando e uma figura sombria fugindo pela sacada do quarto em direção à escuridão.
  Os irmãos então, decidiram matar o vampiro. Algum tempo depois, eles voltaram para a fazenda e montaram uma armadilha. Lady Cranwell fingia dormir no mesmo quarto que o ataque inicial aconteceu. Quando o vampiro tentou entrar pela janela mais uma vez, os irmãos saltaram com pistolas e atiraram nele. Ele gritou e correu para o escuro. No dia seguinte, os irmãos reuniram uma multidão enfurecida de moradores locais e o procuraram no cemitério, até que encontraram uma cripta aberta. Dentro haviam cadáveres mutilados e um caixão aberto contendo um cadáver podre, com um ferimento de bala recente. Nem preciso dizer que eles o queimaram.



05.  Jure Grando
    Vampiro demoníaco
  Jure Grando foi um camponês de Istria, Croácia, que morreu em 1656. Ele teria aterrorizado os moradores da área por 16 anos após sua morte. Os documentos oficiais daquela época o chamavam de "Strigon", o nome local para "Vampiro".
  O caso de Jure Grando foi muito importante para o folclore vampírico, pois foi a primeira vez na história que a palavra "vampiro" foi oficialmente aplicada a uma pessoa. De acordo com moradores, ele passeava na aldeia durante a noite e bater às portas das pessoas. De quem quer que fosse a porta que ele batesse, a pessoa iria morrer. Quando ele não estava fazendo isso, ele estava incomodando sua viúva para fazer sexo.
  Eventualmente, as pessoas se cansaram de ser aterrorizadas por um monstro morto-vivo, portanto, um padre local tomou uma posição e saiu para enfrentá-lo. Grando era páreo para o sacerdote, que o repeliu com uma cruz. O padre e alguns dos moradores perseguiram-no de volta ao seu túmulo, o desenterraram, e decapitaram o cadáver, pondo fim à onda de terror.



04.  O "hunderprest" de Melrose Abbey
    Outro vampiro tarado
  O "Hunderprest" foi um apelido dado a um padre que viveu no século 11 em Abbey Melrose, na fronteira da Escócia. Ele ganhou o apelido por causa de seu passatempo favorito: a caça a cavalo com uma matilha de cães de caça. ("Hunderprest" significa "sacerdote cão.")
  A história do vampiro de Abbey Melrose aconteceu por volta do ano 1138. Em vida, o Hunderprest foi um homem muito mau, por isso, quando ele morreu, ele voltou como um 'revenant'. Dizem que ele começou a beber o sangue de inocentes e se transformava em um morcego (daí que surgiu a parte do vampiro virar morcego). Diz-se que os monges da abadia, exibindo uma impressionante demonstração de "oferecer a outra face", não faziam nada quanto a ele, e deixavam-no andar por aí, assombrando e fazendo toda aquela coisa de morto-vivo. Até ai tudo bem, matar, chupar sangue, tocar o terror... Só que ele cometeu um erro imperdoável, assim como o vampiro do item anterior: começou a incomodar a sua viúva querendo sexo.
  Eventualmente, os monges assustados e sacerdotes, se uniram a fim de acabar com ele. Eles montaram guarda no túmulo do Hunderprest de onde ele saía ao anoitecer. Quando ele finalmente saiu, os monges, mostrando uma capacidade bastante "não-mongica" para chutar traseiros, acertaram-no com um golpe de machado bem cronometrado em sua cabeça. Eles cremaram o corpo do vampiro e espalharam suas cinzas, terminando o seu reinado de terror. Mas algumas lendas dizem que ele ainda assombra a área.



03.  Os Vampiros da Nova Inglaterra
    Vampiros nos Estados Unidos
  Não havia muitos contos de vampiros na América, até a sombria descoberta de um túmulo em Griswold, Connecticut, em 1990. O túmulo continha corpos de agricultores a partir dos anos de 1700. Todos estavam normais, exceto por um. Um corpo foi decapitado, e seu esqueleto foi reorganizada na forma de uma Jolly Roger. (Aquela caveira simbolizando perigo, com um crânio e dois ossos cruzados, igual os piratas usam.)
  Decidiu-se que isso não havia sido apenas um simples roubo de túmulo, pois essa modificação havia sido feita 10 anos após a morte, e os objetos não haviam sido retirados. Isso refletiu um caso na vizinha cidade de Jewett, onde, na mesma época, 29 corpos foram exumados e queimados postmortem. Isso era algo como uma epidemia de vampiros. O caso mais famoso desta época foi o de Mercy Brown, uma menina que morreu de tuberculose. Algum tempo depois, o resto de sua família começou a adoecer e morrer um por um, até que o corpo de Mercy foi desenterrado, e descobriu-se que o corpo dela não estava se decompondo, então queimaram-na.



02.  O Vampiro de Gorbals
    "O Vampiro dos dentes de ferro".
  Esta história começou com o boato de que um vampiro com dentes de ferro estava no cemitério de Gorbals, em Glasgow, na Escócia. O vampiro tinha aparentemente pegado duas crianças. Dentro de algumas horas, o cemitério estava cheio de crianças com armas improvisadas, como paus e facas, caçando o vampiro.
  Autoridades culparam a ocorrência de ser histeria e influência dos quadrinhos norte-americanos como "contos da cripta". Mas já foi apontado que não haviam quadrinhos nesta época, que apresentassem vampiros com dentes de ferro. Havia alguma verdade por trás do vampiro com dentes de ferro rondando o cemitério à noite e se alimentando de crianças? Foi o imaginário popular? Ou teria ele se assustado com a visão de dezenas de Glasguesianos armados e animados com a perspectiva de espancá-lo e esfaqueá-lo, mandando-o de volta para o inferno?
  Há uma certa abundância de supostos "vampiros" no mundo real ...


01.  Elizabeth Bathory
   A Condessa de Sangue
  Elizabeth Bathory é talvez um dos casos mais famosos sobre vampiros da história depois de Vlad, o Empalador. Mas enquanto Vlad não foi realmente um vampiro sugador de sangue - apenas a inspiração para um - Elizabeth Bathory pode realmente ter se alimentado e se banhado em sangue. Elizabeth foi uma condessa romena no século 16, que encontrou a alegria em torturar camponeses. A tortura variou de espancamentos simples e facadas nos dedos e lábios sendo perfurados por pregos de ferro, ou então molhando-os com uma congelante água fria e deixando-os morrer congelados na neve. Os rumores de que Elizabeth era um vampiro começaram quando foi alegado que ela se banhava no sangue de jovens virgens. Foi relatado que ela começou a fazer isso para reduzir os efeitos do envelhecimento, embora alguns historiadores refutaram essa afirmação como sendo adicionada à história após o fato. Eventualmente Bathory foi emparedada viva dentro de seu castelo, com espaço suficiente apenas para respirar e comer, até que então, ela veio a falecer, anos depois.





Compartilhe no Facebook Compartilhe no Tweeter Compartilhe no Google+ Inscreva-se no nosso Feed Voltar ao Início Image Map

Comente com o Facebook: