terça-feira, 6 de agosto de 2013

Crianças Índigo

Criança, Crianças, Children, Indigo, Cristal, Indigos, Cristais, Estrela, Azul, Akiane, aura
  Você sabe o que são crianças índigo? Que barato louco é esse?
  Em 1982 a parapsicóloga Nancy Ann Tappe elaborou um sistema para classificar os seres humanos de acordo com a suposta cor da sua aura espiritual, lançando a obra "Compreenda a sua Vida através da Cor" onde fez um estudo sobre "as cores da vida". Segundo a autora, cada pessoa possui uma certa cor na sua aura em função da sua personalidade e interesses. No caso das crianças índigo, a aura deles tenderia a mostrar as cores anil ou azul, ao que se atribui uma espiritualidade mais desenvolvida.


 Quem são essas crianças?

Criança, Crianças, Children, Indigo, Cristal, Indigos, Cristais, Estrela, Azul, Akiane, aura
  Crianças índigo é o termo utilizado para descrever crianças que a pseudociência e a parapsicologia acreditam ser especiais. Os defensores desta crença afirmam que os "Índigos" constituem uma nova geração de crianças com habilidades especiais, e que têm por objetivo a implantação de uma "Nova Era" na humanidade. Estas crianças são geralmente classificadas como possuidoras de habilidades sociais mais refinadas, maior sensibilidade, desenvolvimento profundo de questões ético-morais e portariam personalidades peculiares que possibilitariam facilmente sua identificação relativamente a outras crianças.

   Uma Criança Índigo é aquela que apresenta um novo e incomum conjunto de atributos psicológicos e mostra um padrão de comportamento geralmente não documentado ainda. Esse padrão tem fatores comuns e únicos que sugerem que aqueles que interagem com elas (pais em particular) mudam o seu tratamento e orientação com o objectivo de obter o equilíbrio. Ignorar esses novos padrões seria potencialmente criar desequilíbrio e frustração na mente desta pessoa.


Por que índigo?

  O termo "Crianças Índigo" vem da cor da aura destas crianças. Nancy Ann Tappe, autora do livro "Entendendo a Sua Vida Através da Cor", diz que pode observar a aura destas crianças, notando uma cor azul forte. Nesse livro estão as primeiras informações sobre o que ela titulou de Crianças Índigo. Segundo Nancy, 80% das crianças nascidas depois de 1980 são Índigos. Há quem as designe de "Criança Estrela" ou "Crianças Azuis", mas foi através do trabalho de Nancy que elas passaram a designar-se "Crianças Índigo".

  Na pesquisa sobre as Crianças Índigo, alguma coisa se tornou quase aparente para os autores/investigadores: embora estas crianças formem um grupo relativamente novo, a sua sabedoria sem idade está a mostrar uma nova e mais amável maneira de estar, não só com elas mesmas, mas com cada um de nós.
 Segundo as pessoas que defendem essa ideia, existem vários tipo de crianças índigo, mas possuem alguns comportamentos em comum, como esses:
  •  Vêm ao mundo com um sentimento de realeza e frequentemente agem desta forma.
  •  Têm um sentimento de "desejar estar aqui" e ficam surpresas quando os outros não compartilham isso. 
  • A auto-valorização não é uma grande característica, frequentemente perguntam aos pais quem elas são, de onde vieram.  
  • Têm dificuldades com autoridade absoluta sem explicações e escolha.
  • Simplesmente não farão certas coisas; por exemplo, esperarem quietas é difícil para elas. 
  • Tornam-se frustradas com sistemas ritualmente orientados e que não necessitam de pensamento criativo.
  • Frequentemente encontram uma maneira melhor de fazer as coisas, tanto em casa como na escola, o que as faz parecer como questionadores dos sistemas (inconformistas com qualquer sistema).
  • Parecem anti-sociais a menos que estejam com outras do mesmo tipo.
  • Se não existem outras crianças com um nível de consciência semelhante à sua volta, elas frequentemente tornam-se introvertidas, sentindo-se como se ninguém as entendesse.
  • A escola é frequentemente difícil para elas do ponto de vista social.
  • Não respondem à pressão por culpa do tipo: "Espera até o teu pai chegar e descobrir o que fizeste!".
  • Não são tímidas quando precisam de fazer os adultos perceberem o que elas necessitam. 

Quanto ao tipo, classificam-se em:
  • Humanistas - muito sociais, conversam com toda a gente e fazem amizades com muita facilidade. São desastrados e hiperativos. Não conseguem brincar só com um brinquedo, gostam de espalhá-los pelo quarto, embora às vezes não peguem na maioria. Distraem-se com muita facilidade. Por exemplo: se começam a arrumar o quarto e encontram um livro, nunca mais se lembram de acabar as arrumações. Como profissões, escolherão ser médicos, advogados, professores, vendedores, executivos e políticos. Trabalharão para servir as massas e, claro, atuarão sempre ativamente.
  • Conceituais - estão muito mais voltados para projetos do que para pessoas. Assumem uma postura controladora. Se os pais não estiverem pelos ajustes e não permitirem esse controle, eles vão à luta. Têm tendência para outras inclinações, sobretudo drogas quando da puberdade, caso se sintam rejeitados ou incompreendidos. Daí a redobrada atenção por parte de pais e educadores em relação aos seus padrões de comportamento. No futuro poderão ser engenheiros, arquitetos, pilotos, projetistas, astronautas e oficiais militares.
  • Artistas - são criativos em qualquer área a que se dediquem, podendo, inclusive, vir a ser investigadores, músicos ou atores altamente conceituados. Entre os 4 a 10 anos poderão vir a interessar-se por até 15 diferentes áreas do conhecimento (ou instrumentos musicais, por exemplo), largando uma e iniciando outra. Quando atingirem a puberdade, aí sim, escolherão uma área definitivamente. Poderão ser futuros professores e artistas.
  • Interdimensionais - entre os seus 1 e 2 anos os pais não podem tentar ensinar-lhes nada, pois eles responderão que já sabem e que podem fazer sozinhos. Normalmente, porque são maiores que os outros tipos de índigos, mostram-se mais corajosos ainda e por isso não se enquadram nos outros padrões.

Como reconhecer essas crianças?
  • Têm alta sensibilidade
  • Têm excessivo montante de energia
  • Distraem-se facilmente
  • Têm baixo poder de concentração
  • Requerem emocionalmente estabilidade e segurança dos adultos
  • Resistem à autoridade se não for democraticamente orientada
  • Possuem maneiras preferenciais na aprendizagem particularmente na leitura e matemática
  • Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou a serem simplesmente ouvintes
  • Não conseguem ficar quietas ou sentadas, a menos que estejam envolvidas em alguma coisa do seu interesse
  • São muito compassivas; têm muitos medos tais como a morte e a perda dos amados Se elas experimentarem muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente.


O que elas vieram fazer?
O que acreditam os estudiosos do assunto, que elas vieram fazer no nosso mundo.

  • Elas vieram ajudar a diminuir o distanciamento entre o PENSAR e o AGIR. Hoje na nossa sociedade todos sabem o que é certo ou errado. No entanto, nós frequentemente agimos diferentemente do que pensamos. Dessa maneira, possivelmente estas crianças irão nos induzir a diminuir este distanciamento gerando assim uma sociedade mais autêntica, transparente, verdadeira, com maior confiança nos relacionamentos;
  • Possivelmente, elas também nos ajudarão a mudar o foco do EU para o PRÓXIMO, inicialmente a partir do restabelecimento da autenticidade e confiança da humanidade, que são pré-requisitos para que possamos respeitar e considerar mais o próximo do que a nós mesmos. Como consequência, teremos a diminuição do egoísmo, da inveja, das exclusões, resultando numa maior solidariedade, partilha e cooperação entre todos os seres.



Criança, Crianças, Children, Indigo, Cristal, Indigos, Cristais, Estrela, Azul, Akiane, aura  Akiane Kramarik, nascida em julho de 1994, Idaho - EUA; é considerada por muitos, uma Índigo. Ela desenha com precisão real desde os 5 anos de idade, vem ganhando atenção internacional e tem aparecido como convidada especial em muitos conhecidos programas de TV americanos.
  Suas pinturas são vendidas com preços que vão de 100 mil a 1 milhão de dólares. Parte da arrecadação com suas obras é revertido em doações a instituições de caridade. Akiane também fala russo, lituano, inglês e a linguagem de sinais. Ela diz que sua inspiração e técnica vem de Deus . Recebe orientações divinas através de sonhos e visões.
  LifeSiteNews.com falou com Akiane e sua mãe Forelli Kramarik sobre a arte dela e seu relacionamento com Deus. A Sra. Kramarik disse para LifeSiteNews.com que sua família inteira não cria em Deus e se converteu a Cristo por causa de visões que Akiane começou a ter com a idade de 4. São essas visões e conversas com Deus que conduzem Akiane em sua arte. Sua mãe destacou que a menina se levanta às 5 da madrugada diariamente para orar e então pintar. Akiane mesma descreveu suas experiências: "Todas as manhãs e todas as noites, converso com Deus. É como se fosse uma voz na minha mente conversando comigo".

Criança, Crianças, Children, Indigo, Cristal, Indigos, Cristais, Estrela, Azul, Akiane, aura
 Quadro de Akiane intitulado "Príncipe da Paz"


Levei 40 horas para terminar a primeira pintura de Jesus – O Príncipe da Paz- e eu recordo ainda que eu perdi quatro dentes durante esse período.
“Eu oro e espero por uma resposta através de pinturas palavras ou idéias. Quando eu tenho uma pintura em minha mente eu reflito como poderia colocá-la na tela. Se é um retrato, eu procuro por um modelo ou estudo muitas pessoas onde quer que eu vá. Se é uma paisagem, ou um animal, eu pesquiso fontes relacionadas ou trabalho diretamente a partir de minha memória ou imaginação.

Quem quiser conferir, ela tem o seu próprio website http://www.artakiane.com/


Crianças Índigo e a Doutrina Espírita

  O tema, apesar de originalmente atravessar décadas, ganhou um novo estímulo nos últimos anos, sendo
Criança, Crianças, Children, Indigo, Cristal, Indigos, Cristais, Estrela, Azul, Akiane, aura
divulgado pela Doutrina Espírita. Particularmente depois que o médium e orador espírita Divaldo Franco teve uma de suas palestras sobre o tema transcrita e ampliada, e que foi transformada em livro bilíngue pelas mãos da neurocientista brasileira Vanessa Anseloni, radicada nos EUA e antiga defensora da integração entre os dois temas. A partir de então, o conceito passou a ser visto com simpatia por muitos espíritas.
Para eles, as crianças índigo seriam espíritos exilados de outros mundos. Como não fossem capazes de acompanhar o "progresso moral" de tais planetas, eles teriam sido encaminhados para mundos inferiores, como a Terra, com a meta de auxiliar sua evolução. Os defensores dessa ideia tratam-na como um desenvolvimento do tema migrações espirituais, presente em obras populares no meio espírita brasileiro, como A Caminho da Luz e Exilados de Capela, e referido por Allan Kardec em A Gênese.

  Por outro lado, há grupos espíritas que são contrários à associação entre o tema crianças índigo e o espiritismo. Defendem que as obras A Caminho da Luz e A Gênese não abordam o termo crianças índigo, tampouco trazem referências às características físicas e psicológicas que costumam ser atribuídas a elas.
  Eles repudiam a publicação e a tradução de livros relacionados ao tema por editoras que possuem foco de mercado no público espírita, como a Petit, bem como os palestrantes espíritas que utilizam esta temática.
Alguns pesquisadores dizem ser muito difícil haver uma civilização mais evoluída no sistema solar de uma estrela Plêiade como Alcyone, conforme afirma Divaldo, pois estas teriam apenas cerca de 100 milhões de anos, enquanto a Terra teria demorado quase um bilhão de anos apenas para esfriar e aparecerem os primeiros organismos unicelulares e quase mais quatro bilhões para o surgimento do "Homo sapiens". Além de contestar a suposta influência gravitacional de Alcione na Terra.
  Divaldo Franco não reconhece influência mediúnica em suas elaborações sobre o tema. Por se tratar de um palestrante que também se notabilizou como médium, esse fato pode servir como fonte de descrédito, diante de certos setores espíritas, para as ideias que defende sobre crianças índigo.



Crianças Cristais
Segundo os defensores dessa teoria, não existem somente as crianças índigo, têm também as crianças cristais. Sabia a diferença:

Criança, Crianças, Children, Indigo, Cristal, Indigos, Cristais, Estrela, Azul, Akiane, aura

  As Crianças Indigo teriam encarnado na Terra nos últimos 100 anos. Os primeiros Índigos seriam os pioneiros e mostradores do caminho. Depois da Segunda Guerra Mundial, teriam nascido um número significante delas, e estes são os adultos Índigo de hoje. No entanto, na década 70 uma onda grande de Índigos nasceu, e por isso agora teríamos uma geração inteira de Índigos que estão agora nos fins dos seus vinte anos e no principio dos seus trinta anos e que irão tomar o seu lugar como lideres deste mundo. Os Índigos continuaram a nascer até mais ou menos o ano 2000, com mais habilidades e maior grau de sofisticação tecnológico e criativo.
  As Crianças Cristais teriam começado a aparecer no planeta a partir de 2000, embora alguns digam que começaram a aparecer um pouco mais cedo. Diz-se que estas crianças são extremamente poderosas, e o objetivo principal delas é levar-nos ao próximo nível de evolução, para revelar-nos o nosso poder interior e divindade. Elas funcionam como uma consciência de grupo em vez de individuais, e vivem pela "Lei da Unidade" ou Consciência de Unidade. Seriam elas uma poderosa força de amor e de paz no planeta.

  Os Adultos Indigos e Cristais seriam compostos de dois grupos. Em primeiro, existe aqueles que nasceram como Indigos e que estão agora fazendo a transição para Cristais. Isto quer dizer que eles passarão por uma transformação espiritual e fisica que acorda a sua consciência "Cristica" ou "Cristal" e que os liga às Crianças Cristais como parte da onda evolucionária de mudança. O segundo grupo são aqueles que nasceram sem estas qualidades, mas que as adquiriram trabalhando arduamente e seguindo diligentemente um caminho espiritual. Sim, isto quer dizer que todas as pessoas teriam o potencial de ser parte deste "grupo" emergente de "anjos humanos".

  Embora exista muita literatura sobre o assunto e pessoas palestrando acerca do tema, não há cientificamente prova alguma sobre a veracidade do assunto. O fato é que existem sim, muitas pessoas especiais por aí. Isso vai de cada pessoa discernir e decidir se acredita ou não. E você, acredita na existência dessas crianças? Seriam elas o próximo passo da evolução espiritual e moral da humanidade?  Quem sabe, não é?





Compartilhe no Facebook Compartilhe no Tweeter Compartilhe no Google+ Inscreva-se no nosso Feed Voltar ao Início Image Map

Comente com o Facebook: